quinta-feira, 30 de julho de 2009

Prazeres e durezas de morar sozinha 1 - o começo....


Meninas, a partir de hoje vou escrever alguns posts relatando minha odisséia de morar sozinha...

Não será nenhuma novidade pq mtas amigas da blogsfera moram ou já moraram sozinhas, então, pra quem ainda não teve a experiência, vai conhecer um pouquinho dessa rotina cheia de coisas boas e ruins... E seria bacana das amigas compartilharem conosco suas experiências.

Eu confesso: a liberdade é indiscutível; vc lava se quiser, arruma se quiser, dorme a hora que quer, cozinha se tiver com vontade, etc....
Minha única responsabilidade extra é zelar pela Meg (leia-se: amor, carinho, água, comida, banho e passear).
Morar sozinha é uma delícia, ninguém pode afirmar o contrário, mas ao mesmo tempo, acontece uma coisa que só a solidão pode te proporcionar: um encontro consigo mesma. Por mais que a TV ou o rádio estejam ligados, a conversa que vc tem com a sua consciência é fantástica e angustiante.

Mas vamos falar sobre isso e mais coisas ao longo dos posts. Por hora, só um gostinho de novidades pela frente!

Meninas, beijokas nas bochechas rosadas... :)

6 comentários:

Mirian disse...

Eli, a experiência de morar sozinha é maravilhosa, realmente inigualável... fico torcendo por voce. Mas também tome muito cuidade nunca deixando a solidão atacar... Ela é mestre em querer nos pegar sozinha.
Na minha época, normalmente ela atacava no domingo a tarde, eu corria para o cinema, e voltava renovada.
Beijos

Mirian Amorym

Ruby Fernandes disse...

Eli, querida!!! você sempre com suas palavras tão doces no bloguito.
Obrigada pelos elogios.
Bjokas flor.

Cris Ventura disse...

Oi Eli! Grata pela mensagem! Boa sorte na nova morada ;-)

Claudia disse...

Eu já tenho uma enorme vontade de morar sozinha. Depois deste post e dos comentários, cresceu! Espero poder realizar esse objectivo em breve.

Ah, e boa sorte na "odisseia" : D

Mariela disse...

Oi, irmã ariana! Gostei de te ler sobre as delícias de viver sozinha. Mas dá para viver sozinha, de forma deliciosa, mesmo sendo casada. Faz teeempo. Se eu consegui e mantenho esse maravilhoso diálogo interior comigo mesma, outras conseguem. Beijo e parabéns pelo lindo blog.
Mariela

Girassol disse...

Fantástica descrição. Proporciona um encontro consigo mesma. E esse encontro é realmente dos extremos. Mas é muito gratificante pq ao mesmo tempo que nos encontramos passamos a perceber o outro em nós e nós no outro.

Boa sorte e sucesso nessa sua empreitada!

Vou acompanhar os próximos posts!